0 O consumo exagerado

O consumo exagerado


Quantas vezes pensamos, não tenho roupas e o armário lotado de peças. Infelizmente esse pensamento é muito comum nos dias atuais.


Queremos ter sempre o modelo mais novo, o mais moderno, o melhor carro, a melhor academia, a melhor calça, mesmo que nosso armário esteja cheio de peças parecidas.


E esse avanço tecnológico acelerado agrava ainda mais esse problema.


Isso tudo leva ao consumo impulsivo, que é dado à falta de planejamento do consumidor. Consequentemente leva à compra de produtos desnecessários, infelizmente todo mundo tem pelo menos algumas peças no armário do qual NUNCA usou.


O problema maior está com os mais jovens. Nossa!! Esses dão trabalho, são os mais compulsivos na hora de comprar. Eles têm menos resistência e não se importam em comprar algo que não venham a usar. Hoje em dia, muitas vezes, são eles que escolhem os produtos que serão usados em sua casa. E a empresas já perceberam esse potencial e investem pesado nesse público, é banco, academia, celulares, cartão de crédito, agência de turismo, difícil ceder a tanta tentação. É um consumo voraz, exagerado e estimulado pela sociedade.


As crianças desde pequenas já são rodeadas com roupas, calçados, acessórios, situações que estimulam bastante o consumo.


E na escola, esse consumismo também aparece. No inicio do ano letivo vem aquela lista imensa, com várias opções de lápis, borracha, cadernos. Tudo puro consumismo. Os pais trocam a mochila e a lancheira do filho todo ano, seja pelo desenho ou modelo mais moderno. Hoje não existe aquela cultura de antigamente em que as coisas do filho mais velho passavam para o mais novo, eles são descartados e compra- se um novo. A cultura realmente mudou, mas mudou para pior, não existe mais o consumo consciente.

Por isso os pais devem ficar bem atentos para educar seus filhos nesse mundo tão atraente e sedutor. Hoje os filhos cobram os pais que não querem dizer não, ficando assim uma sociedade cada vez mais sem limites.


Já parou para pensar que existe um consumo exagerado de tudo desde dinheiro, roupas, perfumes, imagem, adornos, grifes e até de amor e sexo.


Existe uma preocupação excessiva com a imagem e assim aparecem problemas emocionais como ansiedade e depressão.


Com o passar do tempo os jovens com esse comportamento consumista acabam comprometendo as relações econômicas, profissionais, sociais e ate afetivas.


É preciso resgatar valores e mostrar ao jovem que ele possui habilidades internas. É preciso sensibilizar e convencê-lo de seu potencial de crescimento e desenvolvimento físico.
Temos que pensar, ter consciência critica e refletir como viver a cada momento. Só assim teremos liberdade e consciência de limites. Assim seremos livres.


Temos que mostrar que viver é muito mais que o TER, consumir e adquirir. Viver é sentir, buscar, entender aquilo que nos caracteriza como seres humanos.


Não podemos deixar que no mundo o TER seja mais importante que o SER. Pense nisso.

POR ALINE MIESSA

Nenhum comentário:

Blog Aline Miessa © Copyright 2012. Personalizado por Laysa Layout.